Você acessou o Blog de Frederico Menezes. Desejamos que seja ele de utilidade aos que lutam para construir um mundo melhor para todos.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

A VITÓRIA DO BEM

O título deste post não tem razão de ser. Me permitam filosofar um pouco. O bem já é vitória. Ele não precisa vencer nada. Numa visão macro, o bem é o absoluto. Nos universos, nas dimensões infinitas, o bem reina. Só no micro, no menor, no campo relativo e restrito, o que chamamos de mal existe. E nada mais é que temporária situação, aguardando se acender e harmonizar-se com o todo.

A sombra, ou o mal, aparece nos mundos e realidades mais densas da vida, como em planetas como o nosso, com vida eminentemente focada na matéria. Mesmo assim, temporariamente. Porque mergulhados no visgo, acreditamos que tudo o mais é visguento. Atolados na lama de uma pequena poça, pensamos que os lagos, rios, mares da suprema existencia tambem possuem lama.

O mal ocupa pequena parte, microscópica parte, do infinito. Outras localidades, semelhantes ao estágio em que nos situamos, apresentam essa distonia que nos caracteriza a vida moral. Aprenderão. assim como nós. Eis porque acredito tranquilamente na mudança, com a supremacia do bem. Este é o molde; a perfeição, a beleza, a felicidade, a luz, são o que de concreto existe na criação. O Absoluto é perfeito. E na Sua perfeição e Sapiência permite que pequenos focos  atestem Seu respeito ao livre arbítrio das almas.

Quanto ao mal que ainda verificamos existir na Terra, embora a certeza da mudança de estágio com adesão ao Sumo Bem, precisamos fazer a parte que nos cabe, na conquista do mérito e para efetivar a consciencia de que somos colaboradores do divino no aperfeiçoamento dos mundos.

CONTAGEM REGRESSIVA

Neste sábado estarei realizando seminário sobre a terapia do perdão, em Maceió, na sede do Abrigo Francisco de Assis, no bairro Serraria. A renda da inscrição será em benefício do mesmo. Creio que será uma oportunidade e tanto para refletirmos na questão, que nos toca muito de perto, não e mesmo? E creio, tambem, que, como sempre, o público será maravilhoso. O abrigo merece.

domingo, 27 de julho de 2014

SEMPRE RENASCER

Assim como a natureza nos mostra pela reencarnação que renascer é fenômeno intrínseco à vida, temos que aprender a ler nesse sagrado livro e a partir daí, traçarmos um projeto de reerguimento, sobretudo, após alguma queda ocorrida. Sim, planejamento a longo prazo. Se nos acostumarmos com essa visão, não nos abateremos tanto e preservaremos a auto estima. Desânimo e depressão são elementos associados tambem a esta ausência de planejamento, organização e convicção sobre nosso grandioso destino.

Embates novos virão e muitos outros teremos na longa trajetória. No estágio atual em que nos situamos esses embates são desgastantes, é verdade. Em etapas posteriores, porém, nada terão das misérias próprias de mundo expiatório como este. A evolução se dará em outros níveis, mais leves e acelerados. As grossas camadas morais que tornam os movimentos lentos e pesados não mais existirão. Sem dúvida que o peso que carregamos é o preço que pagamos por nos situarmos no nível em que estamos.

Traçar diretrizes cada vez mais seguras de ascenção é aproveitar da melhor maneira a oportunidade da experiencia na carne. Fazer com que a percepção das dificuldades se transmutem em identificação de oportunidades de crescimento moral favorecerá mais amplo espaço de desenvolvimento interior. Isso significa um outro olhar sobre a vida e sobre si mesmo. Representa a superação do desalento, estruturando uma esperança consistente para os novos caminhos. A grande Lei está sempre ao nosso favor. É o vento que sopra a embarcação para a magnífica luz. Na Terra, águas revoltas em plena tempestade; depois, mar calmo, brisa amena, porto seguro.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

EM JABOATÃO DOS GUARARAPES

Amanhã à tarde estarei realizando seminário com o tema "o trabalho mediúnico na casa espírita", na sede da União Espírita de Jaboatão,área metropolitana de Recife. Pelo assunto este será mais voltado ao que trabalham nessa vertente, embora o evento seja aberto ao público em geral. Buscarei uma abordagem que atenda os tarefeiros da mediunidade, ao mesmo tempo em que o participante leigo possa se sentir atraído pelo enfoque. Será dos 14 às 17 horas.

PENSANDO NELES

A amiga Hilda postou na área de comentários seu pensamento de que "cada amigo que chega ao céu, este fica mais florido". Refletindo nessa frase elegante e poética, estive a lembrar os diversos amigos que já se foram desta dimensão. Nos últimos meses assisti  o desencarne de alguns, inclusive, irmão biológico. Cada desencarne é, para mim, grande ensinamento da natureza induzindo-nos a pensar na transcendência da vida.

Lembrar deles com carinho, fazendo parte da nossa história, é algo comovedor. E ainda pensar no reencontro, algo profundamente reconfortante. Concluíram suas etapas, uns mais positivamente, outros com algumas dificuldades mais amplas. Uns despertaram mais suavemente do outro lado, outros viveram situações talvez mais desconfortáveis, no entanto, todos amparados pelo Supremo Amor.

Penso, tambem, nos que estão se preparando para a grande viagem. Os que pertencem a mesma geração e assistem, emocionados, os que viajaram na frente. Às vezes com uma pontinha de bom humor, indagam: "Quem será o próximo?"e botam para sorrir. Outros ficam pensativos, olhando para si mesmos, introspectivos. É assim a roda a vida, o ciclo da reencarnação.

Sim, os amigos que aportam no mudo dos espíritos deixam os céus mais floridos. E mais florido para a nossa chegada. Como são generosos os amigos que se vão. Tenho tido contato frequente com um jovem médico cabense, desencarnado há muitas décadas e que nos ajuda no atendimento espiritual na Casa do Caminho. E ele nos fala, sempre, com imenso carinho das pessoas que ele conhecera na Terra, em nossa cidade do Cabo e, até, dos que ele tem recebido na realidade espiritual. Ele foi amigo de meu irmão desencarnado final do ano passado e já me trouxe notícias dele.

Sim, amiga Hilda, eles, nossos amigos, deixam o céu mais florido. E quando chegarmos lá, nos entregarão ramalhetes luminosos e o sublime perfume dos seus corações amorosos.




quarta-feira, 23 de julho de 2014

A INTERESSANTE DESENCARNAÇÃO DE UM AMIGO

Semana passada, precisamente na sexta feira, recebi a notícia do desenlace físico de um querido amigo da minha família, Mário Deodato. Alma generosa, respeitoso, muito humano, afetuosíssimo. Era mais ligado aos meus irmãos mais velhos. Saía para tomar cervejas e "botar"conversa fora. Todos queriam imenso bem à ele. Podíamos dizer que era o "namorado"de todos. Mas, o que gostaria de narrar era sobre sua morte.

Um companheiro e amigo em comum contou-me um fato inusitado que caracterizou sua desencarnação. Próximo ao seu desenlace, saiu do seu quarto onde estava deitado, olhou para seus familiares que se encontravam na sala e, demonstrando está numa "condição"diferenciada, um certo estado alterado de consciência, perguntou "quem eram eles". Retornou ao quarto deixando todos na sala perplexos. Alguns minutos depois, Mário retorna à sala e diz para os familiares que ele já havia cumprido a missão pelo qual vira à Terra. Voltou-se pra uma irmã e lhe disse para ficar tranquila pois havia deixado todo um amparo para ela. A documentação estava organizada. Retornou para o quarto, deitou-se e deixou o corpo.

Ao saber do ocorrido, fiquei refletindo na grandeza da vida e como nós não temos idéia dos valores e conquistas que as almas possuem, inclusive , as que convivem conosco. Que segurança apresentou o querido Mário para seu afastamento da matéria. Que lucidez interior demostrou. Não frequentava templos, tinha imensa respeito por todos e tudo. Tenho verificado como algumas pessoas apresentam certa qualidade espiritual. São pessoas que, muitas vezes, não se dá muito valor à elas. Serve para mostrar como não devemos julgar pela aparência. Aliás, o Evangelho Segundo o Espiritismo trata da questão quando nos diz que, muitas vezes, um considerado plebeu no mundo está muito acima de um potentado na realidade espiritual.

O que entendemos de valores mais belos e transcendentes da vida?Ah, tão pouco! Meditemos nisso, no desenlace do amigo Deodato e vamos dar uma chance à humildade em nossa vida, à tolerância e ao profundo por todos, sem julgá-los e, menos ainda, condená-los.Querido Mário, obrigado pelo incentivo e grande lição.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

A COMOVENTE E DOLOROSA LIÇÃO DA DEPRESSÃO

Será que temos o que aprender com a depressão? A resposta, naturalmente é : sim, temos muito o que aprender. Não pretendo, neste post, fazer qualquer estudo sobre a doença do século ( ou será dos séculos? ), afinal, muitos estudiosos já escreveram à respeito e pesquisadores suficientemente abalizados no âmbito espiritual, já se debruçaram sobre a questão com grande sabedoria. Aqui mesmo em nosso espaço de reflexão já tratamos do assunto abordando uma visão espiritual do problema.

O fito dessa abordagem é tentar um outro olhar sobre a depressão, agora sobre o prisma de que se pode aprender com sua instalação em nossa vida. Nesses anos em que venho conversando com tanta gente - e creio que em 34 anos de contato com o público, foram milhares de pessoas - verifiquei que a ausência de compreensão sobre a finalidade da vida e sobre nossa natureza espiritual estaria numa das bases do fenômeno, dessa verdadeira pandemia emocional que é a depressão. Alem desse fator, e talvez como consequência dele mesmo, o ócio da ausência do trabalho no bem traria uma cota significativa de responsabilidade para que o mal se propague sobre as vidas.

Qual aprendizado podemos extrair da dolorosa condição advinda da enfermidade? Sem dúvida, quanto mais voltados exclusivamente à si mesmos, às suas necessidades imediatas e egocêntricas, mais vulnerável fica o ser humano à angústia e `a depressão. Permanecendo o nosso descuido para com a fraternidade, a solidariedade que devemos uns para com os outros, intensifica-se o problema, afundando mais ainda a criatura na areia movediça das emoções atordoadas. Esse seria o "ócio"característico da indiferença em relação à dor do outro.

Nossa ação em favor do próximo expande nossa energia, dilata as vibrações e nos faz sintonizar com os fundamentos elevados da vida. Essa atitude propicia uma certa percepção de que somos importantes para a existência e que esta tem um sentido, sim. Aprendemos a lidar com as perdas porque passamos a entende-las de maneira diferente e que são transitórias. Muitas vezes, passamos a enxergar que certas perdas não seriam tão importantes quanto habitualmente fazemos crer.

Isso significa que mudamos o olhar sobre o valores da vida. E que podemos aprender a enxergar lições que trarão o rumo da felicidade e da paz mesmo na ameaça da depressão. Sobretudo, podemos até prevenir as estradas sinuosas que levam a enfermidade. Tanto serve para evitar o mal, como para dele sair. Penso que essa é uma das belas funções do trabalho no bem. A alma tem ganhos monumentais quando se volta para ajudar as outras almas. É um abraço com o mais belo significado da vida.